icone whatsapp

Cardápios

De 27 a 31 de maio

Todas as unidades operacionais da GRSA possuem processos e controles operacionais
rigorosos, voltados à segurança alimentar.

Dentre as práticas utilizadas, destacamos a aquisição e o recebimento de
matéria-prima, o armazenamento, o fluxo de processo e a distribuição das
refeições prontas.

Os procedimentos estabelecidos em nosso manual de boas práticas, embasado nas
legislações sanitárias vigentes, contemplam critérios aplicados a cada etapa do
preparo. Todo produto ou preparação oferecidos devem apresentar procedência,
rotulagem, quando apropriado, bem como sua rastreabilidade, desde a aquisição
até o consumo final.

Durante o armazenamento, o preparo e a distribuição dos produtos e preparações,
uma série de controles e monitoramentos previstos em lei é necessária no
controle da multiplicação bacteriana, para que a saúde dos consumidores não
seja afetada.

Uma vez que marmitas trazidas por colaboradores para serem aquecidas e/ou
armazenadas não são adquiridas pela GRSA nem preparadas em nossa cozinha, sob a
supervisão da Nutricionista Responsável Técnica, não há como evidenciar os
processos estabelecidos pela legislação sanitária vigente.

Diante do exposto, queremos compartilhar nossa preocupação referente ao consumo
de marmitas trazidas pelos alunos, uma vez que são preparações altamente
perecíveis, que permanecem sem controle de tempo e temperatura, podendo
ocasionar danos à saúde. Qualquer queixa nesse sentido poderá comprometer a investigação
devido à falta de rastreabilidade do alimento. Neste caso a GRSA não se
responsabiliza por qualquer problema dessa natureza.

Salientamos que a contaminação alimentar, capaz de causar doenças, não é
identificada por alterações nos alimentos, não sendo perceptível antes ou
durante o consumo.

Permanecemos à disposição para alinharmos uma forma de mitigar tal risco.

Atenciosamente,
HSEQ GRSA